A primeira maratona a gente nunca esquece (42km)

Muita ansiedade antes e ainda mais emoção depois

Há mais de 10 anos atras, lá estava eu na casa do meu amigo corredor amador Cássio Muniz, o qual estava prestes a correr o seu primeiro 42km na Maratona Internacional de São Paulo.

Conheci o Cássio no trabalho, dividíamos a mesma baia. Na época ele nunca tinha feito um treino de corrida, porém fazia natação desde criança. Excelente esporte, parabéns Cássio e mãe do Cássio pelo apoio!

E quem diria que alguns anos depois, eu seria a sua equipe de apoio para a sua primeira maratona! Sim, ele iniciou na corrida através do meu incentivo e nunca mais parou.

Aos 28 anos, lá estava ele ansioso, se arrumando para seguirmos em direção do Pq. do Ibirapuera onde seria a largada.

Revisamos os suplementos que ele levaria com ele, o lanche pré-corrida, pós-corrida e a troca de roupa. Pronto, estavamos prontos. A ansiedade em nós dois era notável.

Ele era o atleta da vez, estavamos com o meu carro. Eu estava ali para dar toda a assistência que ele precisasse, para tentar acalmá-lo e mantê-lo concentrado.

Chegando lá, ele não estava de muito papo, já queria entrar na área de largada, alongar, ficar sozinho. E eu disse “Boa sorte, estarei te esperando na linha de chegada. Vá no seu ritmo.”

E fiquei olhando ele se distanciar de mim até quando não pude mais vê-lo. Como ainda tinha uns 20min para a largada, andei pela arena da corrida, mas eu também estava muito ansiosa, afinal meu amigo estava prestes a correr 42km pela primeira vez! Eu nunca havia corrido 42km, era algo desconhecido. Eu também estava preocupada com ele, mas eu tinha a certeza de que ele havia treinado e estava preparado.

Segui para a largada e em alguns minutos soou a sirene. Tinha muita gente! Muuuuita! Eu não consegui ver o Cássio largando… E dali em diante era com ele, o esforço e o psicológico estavam nas mãos dele.

A maratona é uma competição para pessoas maduras, pois exige muito esforço físico constante e por muito tempo. Uma hora correndo sem parar, duas, três, quatro.. Já não tem mais no que pensar, mais no que olhar…

Eu ainda não corri uma maratona mas já fiz 6 meia-maratonas e você, já fez alguma? Tudo o que eu penso nos últimos kms é acabar, mas para isso é preciso continuar correndo, uma passada atrás da outra… É um conflito com o psicológico, é uma mistura de sensações, até brigamos com nós mesmos… Mas não paramos, seguimos em frente mesmo que bravos. Não é mesmo? Você já sentiu algo parecido?

Eu estava de pé em frente da linha de chegada. Acompanhei o primeiro colocado chegar, o segundo, o terceiro… O cronômetro da prova marcava 3h15. O Cássio estava prevendo chegar por volta de 4h de prova. Fiquei ali olhando cada atleta que chegava, cada comemoração e meu coração batia acelerado ansiosa por saber como ele estava, se precisava de algo, se estava com muita dor…

Até que de repente eu avisto o Cássio chegando! Ele conseguiu! Ele conseguiu! Eu abri um sorriso maior do que o mundo, pulei e gritei pra ele!

Ele me olhou sério, não disse nada e passou pela linha de chegada sem olhar para os lados.

Eu corri desesperada para a área de chegada, próximo das águas e medalhas, pensando o que poderia estar acontecendo com ele! Quando o encontrei, ele estava atordoado, olhando por todos os lados, perdido, sem rumo e eu gritei:

Cássio! Cássio! Estou aqui! Você conseguiu! Você conseguiu!

Ele me viu, veio em minha direção o começou a chorar, eu corri pra ele e abracei, enquanto ele quase que sem fôlego disse:

Pensei que eu fosse morrer!

Eu falei para ele sentar e mesmo vendo o seu desespero, eu tinha um sorriso enorme no rosto, por que eu sabia que ele logo se situaria no que havia acabado de acontecer!

Ele finalizou em “4h on the dot” ou seja, em 4 horas em ponto! E ali mesmo, sentados no Pq do Ibirapuera, onde a corrida entrou na vida dele, naquele momento a corrida estava se cravando ainda mais em nós dois.

As lágrimas do Cássio se tornaram suor e hoje ele tem 4 maratonas realizadas com muito orgulho e paixão:

  • Brasil – Maratona Internacional de São Paulo
  • Austrália – 3x Great Ocean Road Marathon

Essa foi uma experiência inesquecível tanto para ele quanto para mim, que acompanhei de perto essa incrível trajetória e conquista.

Se você algum dia puder ser o apoio de alguém durante uma competição, prepare-se para se tornar alguém maior. A conquista se reflete em todos que estão ali envolvidos e transforma cada um de uma forma única.

Parabéns mais uma vez Cássio, pela sua garra, coragem, determinação e trajetória.

Breve depoimento do Cássio, direto da Austrália:

A sua mãe uma vez me apresentou pra alguém da seguinte forma:
“O Cássio é um amigo da Flávia, ela o introduziu no mundo dos esportes e hoje ele está por aí a ganhar medalhas”.
Eu gostei da forma como ela falou. E tem mesmo um fundo de verdade. A semente sempre esteve lá, eu só não cultivava. Hoje dou maior valor a essa “plantinha gostosa que cresceu dentro de mim”. Obrigado por regar.


Cássio e eu alguns bons anos atrás

Desejo a todos os atletas e apoiadores, bons treinos e boa sorte, em sua primeira e todas maratonas.

E se você também tem uma história ou informação para dividir, comenta aqui embaixo que eu e o Cássio vamos adorar saber!

Valeu guerreiros!

Flávia Grohmann

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s